Jericoacoara

S 02° 47.912’ * W 040° 31.057’

A Cache / The Cache
 Português  English
O GZ situa-se no cimo da famosa duna do pôr do sol, de onde é possível apreciar toda a beleza da praia de Jericoacoara. Para poder registar esta cache, terá de nos enviar um email com a resposta às seguintes questões:

  1. Qual a altura da duna do por do sol (medida com o GPS)?
  2. Considerando a forma como os grãos de areia se dispõem no seu interior (estrutura interna), como se classifica esta duna?
  3. Opcional: Envie uma foto sua, com o GPS na mão, no cimo da duna do por do sol.
The GZ is located on top of the famous sunset dune, where you can appreciate the beauty of the beach of Jericoacoara. In order to register this cache, you must send us an email with the answer to the following questions:

  1. What is the height of the sunset dune (measured with GPS)?
  2. Considering how the sand grains are arranged inside (internal structure), how do you classified this dune?
  3. Optional: Upload a photo of yourself with GPS in hand, at the top of the sunset dune.
 Jericoacoara

Jericoacoara é uma pequena vila de pescadores perdida entre dunas imensas e isolada do resto do mundo. Fica a cerca de 300 km de Fortaleza, Capital do Ceará, Nordeste do Brasil, e possui aproximadamente 10.000 habitantes.

Foi definitivamente descoberta pelo turismo internacional em meados da década de 70, tendo sido considerada uma das dez mais belas praias do mundo, por reportagem publicada no jornal americano Washington Post.

O nome “Jericoacoara” deriva do tupi-guarani yuruco (buraco) + cuara (tartaruga), ou seja, ‘buraco das tartarugas” – devido à ocorrência de desova de tartarugas marinhas na praia. Segundo antigos pescadores, no entanto, o nome vem do formato do Serrote que, visto de alto mar, lembra um jacaré deitado, ou, numa expressão local, um jacaré quarando ao sol. O termo teria originado o nome do lugar: Jacarequara que, com o passar do tempo, se transformou em Jericoacoara.

A magia de Jeri causa paixão à primeira vista. É um impressionante cenário natural, onde tudo é lindo e único. O vilarejo é rodeado por gigantescas dunas móveis, com praias de enseada com mar calmo, praias de oceano com ondas, praias rochosas, pedras moldadas pela força dos ventos e do mar, lagoas de águas cristalinas, manguezais, coqueirais, arquitetura antiga e conservada, com ruas de terra batida.

Tudo isto e muito mais faz de Jericoacoara um lugar maravilhoso e encantador.

Todas as ruas são de areia. Não existe iluminação pública, a rede elétrica é subterrânea, o que faz da noite em Jeri um espetáculo à parte. Jeri tem uma mistura de paisagens incríveis: dunas, lagoas com água transparente, mangues, praias desertas e a famosa Pedra Furada.

Dunas

Em geografia física, duna é uma montanha de areia criada a partir de processos eólicos (relacionados ao vento). Dunas descobertas são sujeitas à movimentação e mudanças de tamanho pela ação do vento. O vale entre as dunas é chamado slack, ou seja, dunas são montes de areia formadas pelo vento e pelo mar.

Tipos de dunas

Dentre as diversas formas de deposição de sedimentos eólicos destacam-se as dunas. Associam-se a elas feições sedimentares tais como estratificação cruzada e marcas onduladas que, no entanto, não são exclusivas de construções sedimentares eólicas.

Existem duas principais classificações para as dunas: uma considerando o seu aspecto como parte do relevo (morfologia), e a outra considerando a forma pela qual os grãos de areia se dispõem no seu interior (estrutura interna). A classificação baseada na estrutura interna das dunas leva em consideração a sua dinâmica de formação, sendo reconhecidos dois tipos: as dunas estacionárias e as dunas migratórias. Algumas dunas acabam por se transformar em formações consolidadas, as chamadas dunas fósseis.

Na construção da duna, os grãos de areia (geralmente quartzo) vão-se agrupando de acordo com o sentido preferencial do vento, formando acumulações geralmente assimétricas, que podem atingir várias centenas de metros de altura e muitos quilómetros de comprimento. A parte da duna que recebe o vento (barlavento) possui inclinação baixa, de 5 a 15° normalmente, enquanto a outra face (sotavento), protegida do vento, é bem mais íngreme, com inclinação de 20 a 35°. Essa assimetria resulta da atuação da gravidade sobre a pilha crescente de areia solta. Quando os flancos da pilha excedem um determinado ângulo (entre 20 e 35°, dependendo do grau de coesão entre as partículas) a força da gravidade supera o ângulo de atrito entre os grãos, e em vez de se acumularem no flanco da duna, os grãos rolam declive abaixo e o flanco tende a desmoronar até atingir um perfil estável.

Dunas estacionárias

Nas dunas estacionárias a areia deposita-se em camadas que acompanham o perfil da duna. Deste modo, sucessivas camadas vão-se depositando sobre a superfície do terreno com o soprar do vento carregado de partículas, partindo de barlavento em direção a sotavento, criando uma estrutura interna estratificada. Embora a sotavento da duna ocorra forte turbulência gerada pela passagem do vento, os grãos de areia permanecem agregados aos estratos em formação, o que tende a impedir o movimento da duna. Estas dunas ficam imóveis por diversos fatores, tais como aumento de humidade, que aglutina os grãos pela tensão superficial da água, obstáculos internos (blocos de rocha, troncos, etc.) ou desenvolvimento de vegetação associada à duna.

Dunas migratórias

À semelhança das dunas estacionárias, o transporte dos grãos nas dunas migratórias segue inicialmente o ângulo do barlavento, depositando-se em seguida, no sotavento, onde há forte turbulência. Desta forma os grãos na base do barlavento migram até o sotavento. Esse deslocamento contínuo causa a migração de todo o corpo da duna.

A migração de dunas ocasiona problemas de soterramento e de assoreamento. Vale lembrar que, devido ao fato da mobilidade causada pelos ventos, as dunas jamais poderão servir de fronteiras.

Dunas fósseis

As dunas fósseis, também conhecidas como dunas consolidadas ou paleodunas correspondem a um estádio do processo de evolução da areia solta para a rocha arenito, processo que dura milhares de anos. Ao longo do tempo, a acção de um cimento calcário (proveniente da dissolução dos fragmentos de conchas que compõem a areia) ou argiloso provoca a aglutinação progressiva dos grãos de areia, originando a duna consolidada.

A migração das Dunas

Principalmente nas regiões costeiras, onde se tem disponibilidade de areia em quantidade apreciável e ventos constantes, as dunas comumente associam-se formando “Campos de Dunas”.

As dunas “migram” com maior ou menor rapidez à medida que o vento sopra as partículas de areia para outros pontos, normalmente retirando-as de barlavento para serem acumuladas em sotavento. As dunas costeiras formam-se sempre na direção do vento predominante. Ao longo do Parque Nacional de Jericoacoara foram identificadas três formas de migração das dunas, após serem edificadas.

Migram continente adentro, contornam o promontório (serrote da Pedra Furada) e podem novamente alcançar a linha de costa através do by pass de sedimentos (transpasse de areia).

Ao alcançarem o riacho Doce e o estuário do rio Guriú dão origem a bancos de areia, que são transportados pela dinâmica fluvial e das marés e os sedimentos voltam logo à praia.

Os campos de dunas migram para regiões interiores da planície até ser fixados pela vegetação ou mesmo sobreporem-se a outros campos de dunas já fixados.

O campo de dunas é uma planície composta de dunas fixas e móveis no formato barcana. A duna em crescente é a mais comum (com pontas nos dois extremos). Em geral, é mais larga que longa e fica oblíqua à direção do vento.

Em Jericoacoara, tanto a correnteza como o vento correm, predominantemente, de leste para oeste. O movimento das dunas, aproximadamente 15 metros por ano, vai modificando todo o ambiente, empurrando as lagoas naturais.

A duna do pôr do sol: Um verdadeiro ritual é praticado diariamente nos finais de tarde em Jeri. É quando todos sobem a uma enorme duna para verem a magia do astro-rei a pôr-se no mar.

Jericoacoara é um dos únicos lugares do Brasil que permite esse espetáculo, sempre acompanhado pela salva de palmas dos espectadores. Esta duna, com cerca de 500 anos, já atingiu 50m de altura mas vai diminuindo de tamanho com o tempo, processo acelerado pelo impacto natural e humano. Por ser móvel, com o passar do tempo e a força dos ventos está a caminhar ao encontro do mar.

 Jericoacoara

Jericoacoara is a small fishing village lost among huge dunes and isolated from the rest of the world. It is approximately 300 km from Fortaleza, capital of Ceara, northeastern Brazil, and has approximately 10,000 inhabitants.

Was finally discovered by international tourism in the mid-70s and was considered one of the ten most beautiful beaches in the world, a report published by the Washington Post.

The name “Jericoacoara” comes from the Tupi-Guarani yuruco (hole) + cuara (turtle), meaning ‘hole Turtles “- due to the occurrence of sea turtles nesting on the beach. According to former fishermen, however, the name comes from the shape of the Serrote that seen offshore, resembles an alligator lying, or at a local expression, an alligator quarando the sun. The term had originated the name of the place: Jacarequara that, over time, became Jericoacoara.

The magic of Jeri causes love at first sight. It is a stunning natural setting, where everything is beautiful and unique. The village is surrounded by gigantic dunes, with cove beaches with calm seas, with waves of ocean beaches, rocky beaches, rocks shaped by the force of the winds and the sea, crystal clear lagoons, mangroves, coconut groves, ancient architecture and conserved with dirt streets. All this and much more makes Jericoacoara a wonderful and charming place.

All the streets are made of sand. There is no street lighting, the grid is underground, which makes Jeri night in a sideshow. Jeri has a mix of amazing landscapes: dunes, lakes with clear water, mangroves, beaches and famous Holed Stone.

Dunes

In physical geography, dune is a hill of sand created from aeolian processes (related to the wind). Dunes uncovered are subject to movement and size changes by wind. The valley between the dunes is called slack, ie dunes are mounds of sand formed by wind and sea.

Types of dunes

Among the various forms of deposition of eolian sediments, there are the dunes. To them are associated sedimentary features such as cross bedding and ripple marks, that, however, are not exclusive of wind building sedimentary.

There are two main classifications for the dunes: one considering their appearance as part of the relief (morphology), and the other considering the way the sand grains are arranged inside (internal structure). The classification based on the internal structure of the dunes takes into account the dynamics of formation, according to two types: stationary dunes and migration dunes. Some dunes eventually become consolidated formations, the so-called fossil dunes.

In the construction of the dune, the sand grains (usually quartz) will be grouped according to the preferred direction of the wind, forming accumulations generally asymmetric, which can reach several hundred meters high and several kilometers long. The part of the dune with the wind (windward) has low inclination from 5 to 15 ° normally, while the other face (leeward), protected from wind, is more steep inclination of 20 to 35 °. This asymmetry results from the action of gravity on the growing pile of loose sand. When the flanks of the pile exceeding a certain angle (between 20 and 35 °, depending on the degree of cohesion between particles) the force of gravity overcomes the angle of friction between the grains, and instead accumulate in the flank of the dune, the grains roll down the slope and flank tends to crumble until a stable profile.

Stationary Dunes

In stationary dunes the sand is deposited in layers which follow the profile of the dune. Thus, successive layers will be deposited on the ground surface with the blowing wind laden with particles, from the windward to the leeward direction, creating a layered internal structure. Although at the leeward of the dune occurs strong turbulence generated by the passage of the wind, the sand grains remain aggregated to the strata in creation, which tends to prevent movement of the dune. These dunes are immobilized by several factors, such as increased humidity, which binds the grains by the surface tension of water, internal obstacles (blocks of rock, logs, etc..) or development of vegetation associated with the dune.

Migration Dunes

Like the stationary dunes, transport of grain in the migration dunes initially follows the angle of the windward, depositing then on leeward, where there is strong turbulence. Thus the grains at the base of the windward migrate to leeward. This continuous shift causes the migration of the whole body of the dune.

The migration of dunes causes problems of siltation and burial. Please note that due to the fact of mobility caused by the winds, the dunes can never serve as boundaries.

Fossil Dunes

The fossil dunes, also known as consolidated dunes or paleodunas correspond to a stage of evolution process of loose sand into the sandstone rock, a process that lasts a thousand years. Over time, the action of a calcareous cement (from the dissolution of shell fragments that make up the sand) or argillaceous causes progressive agglutination of the sand grains, causing the dune consolidated.

Migration of Dunes

Especially in coastal areas, where there is availability of sand in appreciable quantity and constant winds, the dunes commonly associated forming “Fields Dunes”.

The dunes “migrate” to a greater or lesser speed as the wind blows the sand particles to other points, typically removing them from the windward to be accumulated in the leeward. The coastal dunes are always formed in the direction of the prevailing wind.

In Jericoacoara, both the current like the wind run predominantly from east to west. The movement of the dunes, about 15 meters per year, will changing the entire environment, pushing the natural ponds.

The Sunset Dune

A true ritual is practiced daily in late afternoon in Jeri. That’s when all rise to a huge dune to see the magic of the Sunset at sea.

Jericoacoara is one of the only places in Brazil that allows this spectacle, always accompanied by the applause of the spectators.

This dune, with nearly 500 years, has reached 50m high but diminishes in size over time, a process accelerated by the natural and human impact. Being mobile, with the passage of time and the force of the winds is going to meet the sea.

Anúncios